A suficiência da Palavra de Deus

bibliaO livro “História do culto protestante no Brasil” de Carl Hann, no capítulo 6, relata brevemente à respeito do surgimento do culto protestante no Brasil, através de uma liderança leiga, que iniciou-se com o chamado “Colportagem”. Colportagem refere-se ao trabalho de uma pessoa que vende ou distribui mercadorias de porta em porta, geralmente livros religiosos, no caso, a Bíblia Sagrada.

O culto protestante no Brasil foi grandemente influenciado pela distribuição de Bíblias e pela formação espontânea de grupos leigos de estudos bíblicos que receberam pouca ou nenhuma orientação de pastores formados (p. 243)

Ou seja, a Bíblia começou a chegar nas mãos das pessoas que, antes, não tinham tido nenhum acesso à ela. Elas começaram a ler, a se interessar e a formar grupos de estudos. Nós vemos um exemplo através de um prefácio de um livro chamado “O Culto Dominical”, escrito pelo Rev. Ramsom por volta de 1876:

Em muitos lugares tem-se espalhado numerosos exemplares das Escrituras Sagradas, e há muitos que desejam um culto simples, racional, puro e agradável a Deus. Há lugares onde não visitou pregador algum e onde contudo há quem deseje um Culto Dominical em língua inteligível.

Centenas de pessoas receberam as Bíblias, leram-na e compreenderam o suficiente para desejar mais de Deus, para querer um Culto tal qual descrito em suas páginas. Pela falta de pastores ordenados e devidamente formados, muitas congregações e igrejas tiveram início com uma liderança leiga, semi-alfabetizada e sem muitos recursos.

Maria de Melo Chaves, uma escritora brasileira relata uma história interessante de como o evangelho chegou até sua família. Sua própria família foi despertada para a fé através da leitura de uma Bíblia deixada por um missionário. Essa leitura nutriu-lhes a fé e conduziu à formação de fortes igrejas presbiterianas na região do “Triângulo Mineiro”. Deve ser notado o fato de que o padrão de culto era estabelecido pelo simples estudo da Bíblia e dirigido por uma jovem sem preparo teológico. Os atos pastorais eram realizados muito raramente, quando um pastor responsável chegava para administrar.

Na obra “Bandeirantes da Fé”, temos um resumo do que aconteceu em muitos lugares do Brasil:

1. O povo era muito religioso, espiritualmente abandonado, imerso na superstição, embora espiritualmente faminto.

2. Um clero rural, inferior, inadequado e frequentemente imoral, gerava dúvidas a respeito da fé.

3. A Bíblia protestante caía nas mãos de algum membro da comunidade e ali podia permanecer esquecida antes de começar a ser lida.

4. Quando uma pessoa a lia sentia-se tão desafiada que desejava compartilha-la com um vizinho. Logo dois ou mais amigos e suas famílias começariam a passar seus domingos lendo a Bíblia, discutindo-a e orando.

5. Eventualmente era feito contato com um pastor protestante e essas pessoas eram recebidas como membros de uma igreja evangélica com a pública profissão de fé e batismo perante seus vizinhos.

6. Essas família estabeleciam o “culto doméstico”, que, aos domingos, aumentava quando os vizinhos eram convidados a participar.

Geralmente era isso que acontecia. E o ponto que eu quero destacar aqui é com relação ao poder que a Palavra de Deus tem de, por si só, desafiar, transformar e converter o coração de alguém. Deus, em sua providência, fez com que muitas igrejas se organizassem no Brasil apenas pela leitura da Bíblia. A Bíblia não é um livro qualquer. Ela é o livro sagrado, a própria Palavra de Deus revelada de forma escrita, e ela sempre será nossa única regra de fé e prática.

Um relatório antigo de um missionário no campo de Porto Alegre relata o seguinte:

Um homem ouviu falar da Bíblia e desejou muito possuí-la. Pediu-a ao padre que se esquivou do pedido durante meses. O líder religioso lhe disse muitas vezes que o desejado exemplar da Bíblia não tinha vindo por esta ou aquela razão. Depois de um ano de desapontamentos, o fazendeiro procurou um missionário e comprou dele uma Bíblia por preço muito menor do que o que o padre havia pedido… Quando o missionário do campo de Oliveira visitou esse lugar, em 1928, encontrou seis adultos prontos para a profissão de fé e recebeu-os imediatamente e batizou nove crianças. (Margaret Sydenstricker. History of the mission. p. 33).

Essa mesma autora ainda acrescentou: “O Espírito Santo realizou a obra e estes filhos das trevas viram a luz somente através da leitura da Palavra de Deus.” – Isso nos ensina que quem converte os corações é o Espírito Santo, quem converte é apenas Deus e Ele o faz através de Sua Palavra. Não é uma boa eloquência ou um bom discurso que muda uma pessoa. Não são eventos e programações que vão transformar o coração de alguém. O que transforma o coração e a vida de uma pessoa é o Espírito Santo, através da leitura e meditação da Palavra viva do Deus vivo. A história nos ensina isso, portanto não podemos diminuir a Bíblia, e tratá-la como uma literatura qualquer.

A Bíblia é inerrante, deve ser nossa regra de fé e prática todos os dias. A Bíblia é suficiente! Tudo o que precisamos saber sobre Deus, sobre a vida cristã e sobre a salvação em Jesus Cristo, nós encontramos nas Escrituras Sagradas. Medite na Palavra de Deus, peça para o Espírito Santo te ajudar a entender aqueles textos mais complicados de entender, e somente através da Palavra, você vai poder descobrir e experimentar a vontade de Deus que é boa, perfeita e agradável.

Thiago Machado Silva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s