Ciência e fé cristã

Albert-EinsteinUm dos principais argumentos de Richard Dawkins é que a fé religiosa é algo irracional. Segundo ele, a fé é um processo que não exige pensamento, conhecimento ou argumentos. Mas isso não é verdade. Todos concordamos que a ciência é uma das formas mais seguras de conhecimento. Como nós podemos ter certeza de que a fórmula da água é H2O? Como podemos saber a estrutura do DNA? A resposta é simples: porque é isto que as evidências científicas nos mostram. Até aqui a ciência é fundamental e excelente.

Mas vamos olhar para outras questões: Qual o sentido da vida? Existe propósito no universo? Porque estamos aqui? Existe vida após a morte? Será que a ciência pode responder este tipo de questão? Precisamos compreender que existe um limite, existem questões que a ciência não pode responder. Ela não pode responder se existe ou não um Deus. Ela não pode responder qual a razão e o motivo de estarmos aqui. Quando lidamos com questões de sentido, significado e valores, a ciência fica limitada. E isto não é uma crítica, mas um reconhecimento dos limites que devem ser respeitados.

E é aí que temos a fé cristã, que responde as questões mais profundas e transcendentes sobre significado, sentido, propósito e valores. Vários livros foram publicados por cientistas que entenderam esta realidade. Owen Gingerich, professor de astronomia em Harvard, publicou um livro chamado “O Universo de Deus”; Francis Collins, diretor do Projeto Genoma, escreveu “A Linguagem de Deus”. Estes dois cientistas escreveram apaixonadamente e persuasivamente que a fé cristã deu um novo sentido para o mundo, e esta fé os fortaleceram em suas carreiras científicas. Isto significa que os pensadores e cientistas podem desenvolver suas pesquisas de maneira excelente enquanto acreditam em Deus e na fé cristã. Isto faz toda a diferença.

Crer em Deus não é algo irracional. C S Lewis diz: “Eu acredito no cristianismo como eu acredito no sol, não por aquilo que ele é, mas que através dele eu posso ver tudo ao meu redor. Para usar a linguagem da filosofia, Deus é a “melhor explicação” para o sentido e o significado da criação e de todas as coisas. Alister McGrath diz que nós não podemos provar (com argumentos humanos) que Deus existe, assim como um ateu também não pode provar que Deus não existe. Porém, todos nós baseamos nossas vidas em algumas crenças fundamentais que não podemos provar com evidências científicas. É assim que as coisas são!

É por isso que não colocamos a ciência contra a fé, mas entendemos que a ciência opera dentro de um limite, e que somente a fé cristã é capaz de responder nossos questionamentos mais profundos sobre o propósito da vida e da criação.

Thiago Machado Silva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s