O Cristianismo e o Socialismo

6rTKxpvZ7m7gyeVWoWtvt4c9Muitos usam o texto de Atos 2:44-45 para afirmar que a Bíblia favorece o socialismo: “Os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade.” Mas será?

O que Lucas está dizendo ao escrever Atos 2 é que cada necessidade do cristãos estava sendo suprida efetivamente por outros cristãos. Os mais necessitados estavam sendo atendidos por outros crentes dentro da comunidade cristã. Alguns vendiam o que possuíam, bens e propriedades, para suprir o que estava faltando no outro. E essa ajuda era feita livremente. Portanto, o texto de Atos não exclui mas presume o direito à propriedade privada. E eu acredito que toda a Bíblia (Antigo e Novo Testamentos) confirmam a legitimidade e a necessidade da propriedade privada.

Como afirma John Piper, o mandamento “não furtarás” não faria sentido que alguém não tivesse o direito de manter aquilo que o pertence. O que a Bíblia ensina é que o auxílio aos necessitados devia ser feito de forma livre e alegre, assim como Paulo ensina em 1 Coríntios 8:7-15.

Porém, o socialismo é um sistema econômico e social que através de coerção legal ou governamental, estabelece a propriedade social em detrimento da propriedade privada ou pessoal, e tal coerção é usada para estabelecer o controle social. E assim, por meio do controle, o socialismo tenta eliminar muitas das implicações e motivações da propriedade privada. Como diz John Piper novamente, o socialismo toma emprestado o princípio cristão da compaixão ao buscar satisfazer as necessidades das pessoas, mas rejeita o ensino cristão de que a compaixão deve ser livre, não coagida ou forçada.

Portanto, eu concluo dizendo que na comunidade cristã ou na sociedade em que vivemos, ninguém deveria passar fome, ninguém deveria morar na rua, e ninguém deveria viver desempregado, se existem cristãos verdadeiros que podem ajudar a suprir tais necessidades. Mas essa ajuda deveria acontecer não de maneira forçada, mas espontânea e livremente, sem coação ou coerção do governo ou de quem quer que seja.

Assim sendo, o cristianismo bíblico inclui em seu ensino:

1) Compaixão para com os mais desfavorecidos;
2) Justiça sob a lei, sem levar em conta o status social;
3) Liberdade para criar e produzir;
4) Propriedade privada.

* Esta é a opinião de um simples teólogo que entende um pouco mais de teologia do que de política!

Thiago Machado Silva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s