A teologia missional de Herman Bavinck

bavinck_missionalDurante meus estudos de mestrado em Teologia Sistemática no Calvin Theological Seminary, o meu maior foco foi no teólogo holandês Herman Bavinck (1854-1921). Aprendi muito com o Dr. John Bolt, que foi meu orientador e com quem tive o privilégio de trabalhar como assistente durante um ano. E se você me perguntar sobre algo que eu aprendi ou algo que foi muito importante durante esse período, com certeza, eu posso responder que foi a habilidade de olhar para a teologia sistemática, não como algo meramente teórico ou do passado, mas com um foco missional para os dias de hoje. E Herman Bavinck é o teólogo que tem me ajudado a fazer teologia sem perder a missão de vista. A teologia de Herman Bavinck é uma teologia reformada e missional, e ele tem muito a dizer para a igreja reformada de hoje.

Com Herman Bavinck (principalmente através de John Bolt) tenho aprendido que o teólogo reformado deve estar comprometido com a proposição de que a boa teologia prepara o povo de Deus para a missão, e que a principal missão da igreja é levar o evangelho – a boa notícia de que Jesus salva e reina – para todas as nações. Para John Bolt, o termo “missão“, com relação à Deus, refere-se à noção intra-trinitária de envio, o envio do Filho pelo Pai, e o envio do Espírito Santo pelo Pai e pelo Filho. Com relação à igreja, “missão” refere-se à Grande Comissão: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” (Mt 28.18-20). Portanto, para Bolt e Bavinck, o adjetivo “missional” não define o conteúdo da teologia, mas indica seu resultado e consequência, o impacto e o efeito que a teologia gera; e missão sempre carrega consigo a noção de envio (enviar e ser enviado). Ou seja, a verdadeira teologia contribui para a missão da igreja de levar o evangelho para o mundo.

John Bolt escreve que é sua convicção que nós devemos continuar fazendo teologia sistemática porque precisamos ser contemporâneos, comunicar efetivamente para nossa geração, e equipar a igreja para sua missão hoje. Bolt, portanto, define “teologia missional” da seguinte maneira:

Uma teologia missional entende que a tarefa da teologia sistemática consiste em fornecer resumos compreensíveis e contemporâneas da verdade cristã sobre Deus com o objetivo de ajudar a igreja a cumprir eficazmente a Grande Comissão em nossos dias.

Mas como a teologia de Bavinck é missional?

Bavinck define a essência do Cristianismo em termos trinitários, ou seja, podemos dizer que a missão da igreja, de acordo com Bavinck, está enraizada na Trindade. Para Bavinck, “A essência da religião cristã consiste no fato de que a criação do Pai, arruinada pelo pecado, é restaurada na morte do Filho de Deus, e recriada pela graça do Espírito Santo em um reino de Deus” (Reformed Dogmatics 1, p. 112). Além disso, uma vez que todas as criaturas possuem o selo inconfundível da Trindade, podemos estar certos de que a nossa investigação da realidade não conseguirá penetrar seu núcleo e chegar à uma conclusão adequada a menos que cheguemos à confissão do Deus trino. Bavinck, seguindo a linha de Agostinho, diz que nossa mente permanece insatisfeita até que toda a nossa existência se volte para o Deus trino, e até que a confissão da trindade funcione no centro de nosso pensamento e vida (Reformed Dogmatics 2, p. 330).

Para Bavinck, a Trindade é a origem, tipo, modelo e imagem de todos os outros sistemas, inclusive da missão da igreja. Além da Trindade, Bavinck também fundamenta sua teologia na revelação de Deus (revelação geral e especial) e a na universalidade da religião, implantada no coração e na consciência humana (o anseio pela eternidade).

Sendo assim, o significado missiológico de Bavinck, de acordo com Bolt, é óbvio: os cristãos em missão chegam com o evangelho, com a boa notícia sobre a obra salvadora de Deus em Jesus Cristo. Porém, para essa mensagem ser compreendida de maneira eficaz, seu conteúdo deve levar em consideração o conhecimento de Deus que as pessoas já possuem como resultado de terem sido criadas à imagem de Deus. É necessário encontrar esse “ponto de contato“. Bavinck constrói sua visão missional com base nas convicções reformadas sobre a revelação geral que Deus disponibiliza a todas as pessoas.

Ao ler sua Dogmática Reformada, você vai perceber que, em cada locus (parte) da sua teologia, em todos os volumes, Bavinck começa chamando atenção para a realidade da prática e do anseio religioso humano universal como um ponto de entrada antes de abordar e discutir uma doutrina ou um conteúdo bíblico-teológico. Dessa forma, ele fornece uma ponte natural (“ponto de contato”) para que os cristãos possam comunicar sua fé eficazmente aos incrédulos.

É essa metodologia – colocar o conteúdo da verdade bíblica e teológica no contexto do anseio religioso humano universal – que dá à teologia de Bavinck seu caráter missional. A teologia sistemática de Herman Bavinck nos dá um grande conjunto de ferramentas para a prática da missão da igreja. Portanto, podemos afirmar que, mesmo de maneira implícita, a teologia de Bavinck, pode ser considerada missional.

Thiago Machado Silva

Bibliografia usada:

Herman Bavinck, Reformed Dogmatics, 4 vols., trad. John Vriend, ed. John Bolt (Grand Rapids: Baker Academic, 2003–2008).

John Bolt, “The Missional Character of the (Herman and J. H.) Bavinck Tradition,” The Bavinck Review 5 (2014).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s